Exibição de publicidade na TV vai cair até 20% até 2022

Exibição de publicidade na TV vai cair até 20% até 2022 1

Nos próximos três anos, espera-se uma diminuição na publicidade televisiva, de acordo com a consultoria de marketing Ebiquity, que projeta uma queda de 15% a 20% na exibição de anúncios de televisão em adultos.

O relatório de TV da empresa descobriu que o mercado de publicidade televisiva está se aproximando de um ponto de virada.

Análise Ebiquity sugere que 2022 será um decréscimo em ver os comerciais de televisão entre os adultos, com quedas ainda maiores entre 30 e 45 por cento para a chave demográfica público chamado de “donas de casa com crianças” e 16 a 34 anos

Em um mundo onde as audiências de TV linear estão encolhendo, o aumento dos custos ameaçará a primazia do retorno sobre o investimento (ROI) para a TV linear ao vivo nos próximos cinco anos.

Além disso, a análise adverte que a perda de espectadores mais jovens devido à televisão linear não se limita a alguns setores.

Ele observa que essas tendências são acionados por alterações na visualização de hábitos, por isso é pouco provável que os compradores de TV pode mitigar a mudança no mercado, e que uma maior proporção de consumidores ricos é um conforto para os anunciantes, mas não Será suficiente para compensar a perda de jovens espectadores a longo prazo.

A Ebiquity acredita que a maior ameaça à televisão como meio de propaganda é a perda de duas coisas: o apelo massivo e a capacidade de atingir rapidamente a maioria da população.

  Parceria coloca Netflix dentro do decodificador da Net, como funciona esse acordo

“Netflix, Amazon Prime e outros serviços de transmissão estão mudando a televisão, com implicações de longo alcance para os anunciantes e as emissoras”, disse o estrategista-chefe da Ebiquity, Christian Polman.

O que os anunciantes devem fazer?

Apesar das descobertas, o relatório destaca, para a maioria das marcas, que a televisão tradicional provavelmente será a linha de mídia mais lucrativa, mas sugere aos anunciantes:

  • Considere as campanhas em termos de escopo, em vez de ponderar as classificações.
  • Diversificar dentro do audiovisual, incluindo estações e vídeo on demand (VOD).
  • Diversificar fora do audiovisual, as marcas precisarão de planos de mídia mais complexos para suportar as comunicações.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *