Com o iOS 12, o GrayKey não consegue mais quebrar as senhas do iPhone

Parece que a Apple finalmente ganhou vantagem em sua longa batalha com o GrayShift , de Atlanta, Geórgia , pelo menos por enquanto. A Forbes relata que a tecnologia de passcode hacking da empresa conhecida como GrayKey não funciona em dispositivos com iOS 12 ou posterior instalado. Em vez disso, membros da comunidade forense dizem que a tecnologia só pode fazer uma “extração parcial” desses dispositivos. 

Em abril, falamos sobre a nova tecnologia da GrayShift, que permitia que as forças de segurança desbloqueassem iPhones sem a senha,  usando uma caixa cinza com cabos Lightning conectados. Antes do lançamento do iOS 12 em setembro, o GrayKey conseguiu usar técnicas de “força bruta” com seu dispositivo para adivinhar senhas em dispositivos iOS. Isso não é mais possível.

Por enquanto, ninguém na comunidade de segurança parece saber como a Apple essencialmente matou GrayKey.

Vladimir Katalov, da fornecedora de tecnologia forense Elcomsoft, por exemplo, disse à Forbes que está perplexo. Anteriormente, ele conseguiu descobrir os pontos fracos da segurança da Apple. Não desta vez.

Ele explica: “Não faço ideia. Poderia ser tudo, desde uma melhor proteção do kernel até restrições mais fortes de instalação do perfil de configuração ”, sugeriu ele. O kernel é a parte principal do sistema operacional, a partir do qual o restante do iOS é iniciado. Os perfis de configuração geralmente permitem que indivíduos e empresas personalizem as formas de funcionamento dos aplicativos iOS.

Enquanto isso, as organizações de aplicação da lei que usaram a ferramenta forense GrayKey para desbloquear telefones parecem estar adotando uma abordagem de esperar para ver.

O capitão John Sherwin, do Departamento de Polícia de Rochester, em Minnesota, que usa GrayKey, disse à Forbes: “Dê tempo e estou certo de que uma ‘solução’ será desenvolvida… e então o ciclo se repetirá. Alguém está sempre construindo uma ratoeira melhor, seja a Apple ou alguém tentando impedir a segurança do dispositivo. ”

Isso é sem dúvida correto. Em algum momento, alguém no GrayShift (ou em outro lugar) encontrará uma maneira de contornar a correção da Apple, e o jogo de gato e rato continuará.

Nem a Apple nem o GrayShift responderam ao pedido da Forbes para comentar esta história.

Onde você está nessa questão? Deixe seus comentários abaixo.


Cuidado: iPhone emite mais radiação eletromagnética do que o permitido

Os telefones emitem radiação eletromagnética . Para que um celular seja colocado à venda, ele deve emitir uma radiação…

Samsung VS. Apple, iPhone em colapso perde terreno na Europa, Xiaomi decola

O último trimestre fiscal viu o colapso do iPhone em 17% no Velho Continente; quotas de mercado corroídas…

Encontre um bug no iPhone e ganhe até 1,5 milhão de dólares – Desafio

A segurança em nossos celulares é cada vez mais de ferro. Tanto a Apple quanto o…

Mais lucro ou segurança: Apple quer impedir que você mude a bateria do seu iPhone, mesmo se você colocar uma original

Todos sabemos sobre as restrições dos ambientes Apple, no entanto, na maioria dos casos, o…

Apple Watch: como bloquear e desbloquear o seu relógio digital

Qualquer um com um Apple Watch quase certamente tem informações importantes e pessoais armazenadas no…

Ataques no protocolo AWDL: quase todos os dispositivos da Apple são vulneráveis

Uma vulnerabilidades em AWDL (Apple Wireless Direct Link) permite que invasores rastreiem usuários, bloqueiem dispositivos…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *